Atualização – PM mata ex-mulher a tiros e deixa cadáver em chácara da família

Por Karoline Nascimento
G7 Kromnws – 18/11/2021 | 10h41

Atualizado | 18h53

Franca amanheceu nesta quinta-feira, 18 de novembro, nos holofotes de uma tragédia.
A jovem Tabata Gonzales, 34 anos de idade, foi assassinada a tiros e de maneira brutal, pelo ex-marido.
O PM Douglas Teixeira.
O policial, atirou na ex-mulher na casa dela, no Jardim Piratininga, em Franca.
Depois de mata-la, ele pegou seu corpo e removeu do local do crime, dentro do carro pessoal.
O policial dirigiu até a chácara de sua família, no mesmo Município.
Lá, abandonou o carro com o corpo da ex-esposa, e pegou o veículo de seu pai que usou para fugir.
Ele é considerado foragido, e até a publicação e atualização desta reportagem, permanecia sumido.

Douglas e Tabata estavam casados há alguns anos, mas eles vinham tendo uma série de problemas no relacionamento.
Familiares contaram a polícia e a Reportagem do Informe Franca, Núcleo Regional de Notícias do G7 Kromnws, que ele era agressivo.
Em outubro, depois de participarem de uma confraternização em família ao chegarem na residência em que moravam, Douglas quis manter relações sexuais com a esposa.
Que se negou, e que gerou a última discussão do casal.
Ele teria a segurado violentamente pelo pescoço, a ameaçado de morte.
Ela foi embora de casa na manhã seguinte, e registrou um boletim de ocorrência pela agressão, datado de 17 de outubro.

Tabata se separou do marido que não aceitou o fim do relacionamento após o fato, e retirou a queixa contra ele semanas mais tarde.
Mas as ameaças prosseguiram para que voltassem.
Na madrugada de quinta-feira, horas antes do crime acontecer, ela chegou a postar no Whatsapp, em um grupo de família, que seria morta pelo marido.